A Cidade Nova

15. 11. 2013

Você sabe que quando o rei tcheco Carlos IV fundou a Cidade Nova em Praga em 1348, cresceu o maior local de obras da Europa medieval?

O Carlos IV teve intenções sérias com a Cidade Nova. O fato é provado pelo cuidado que o rei dedicou a esse bairro novo de Praga. Enquanto Hradčany, Staré Město e Malá Strana estavam superpopulosos e urbanizados quase até o último metro quadrado, uma nova perspectiva de vida se abria aos homens na Cidade Nova.

O popular simbolismo medieval

O rei escolheu três locais para os mercados, hoje as praças Karlovo, Václavské e Senovážné náměstí, e uma rede de ruas planificada cuidadosamente – tudo no espaço limitado pelas muralhas de 3,5 quilômetros e maiores que todos três bairros da época. O imperador dava muita importância ao simbolismo, assim como no caso da Ponte Carlos e por isso as obras sagradas da Cidade Nova formavam (e até hoje formam) uma cruz imaginária. Nas extremidades do braço mais largo estão igreja de Santa Catarina e a igreja da Nossa Senhora Na Slupi, a linha se estende até a basílica em Vyšehrad. O braço transversal apresenta as linhas entre o mosteiro Na Slovanech e a igreja da Nossa Senhora e do Carlos Grande em Karlov. Os dois eixos se cortam à igreja de São Apolinário. Podia o dominador piedoso encontrar uma melhor maneira de como assegurar a benção do Deus à Cidade Nova?

Os cantos interessantes da Cidade Nova

Sem dever abandonar a Cidade Nova, você pode visitar a ilha Slovanský ostrov, admirar o Teatro Nacional e percorrer a Praça de São Venceslau com imponente o Museu Nacional.  Vale a pena ver também o bairro antigo Petrská čtvrť, Podskalí ao pé de Vyšehrad ou a praça Karlovo náměstí com a Prefeitura da Cidade Nova e com a famosa Casa de Faust. Percorrendo os cais do rio Moldava, você encontrará a Casa Dançante, um símbolo da arquitetura moderna de Praga, ou a sala de exposições Mánes com a torre de água renascentista que fica ao lado da sala.

Favoritos